Área Imprensa
Imprensa

Vitoria Stone Fair 2018: interação entre empresas e consumidor final

Publicada em 13/06/2018 - 10:23

A 45º feira internacional do mármore e granito comprovou que a interação das empresas com o consumidor final é a chave para a valorização das pedras naturais


Terminou neste domingo, 10, a Vitoria Stone Fair l Marmomac Latin America 2018. Com um novo formato, a feira registrou uma grande movimentação de visitantes impressionados com as diversas possibilidades do uso das pedras naturais, novos produtos e tecnologias demonstradas nos espaços dos expositores.

Os visitantes puderam conferir a pedra em todas as etapas, da extração ao design. Na área externa, a Rua de Blocos reuniu 70 materiais que revelam a exuberância dos clássicos aos super clássicos; As principais tendências e belezas das pedras ficaram por conta do Stone Collection, espaço conceitual que apresentou verdadeiras obras de artes por meio de chapas e novas tecnologias. E por fim, a valorização do material no design. A Brazilian Stones Original Design mostrou móveis e peças assinadas por 12 designers brasileiros, feitos em pedras.

“O mercado mundial está em constante transformação e em busca de novas inovações e conectividade. A Vitoria Stone Fair precisa caminhar junto às mudanças e essa edição apostou nesse novo olhar, que envolve interação e experiências inovadoras para expositores, visitantes e compradores potenciais. Não podemos mais pensar no uso da pedra de maneira singular. É preciso aumentar a oferta de forma que as empresas se tornem mais competitivas”, afirma o diretor da Milanez & Milaneze, Alberto Piz.

O presidente do Sindirochas, Tales Machado frisou que a feira cumpriu seu papel de difundir os produtos brasileiros e ditar tendências para o mercado mundial. “Os empresários demonstraram sua garra e, através de espaços diferenciados, surpreenderam os visitantes. A nobreza e o brilho dos materiais ganharam mais destaque nos ambientes que ressaltaram a aplicabilidade das pedras e atraíram um público diferenciado para esta edição”, finaliza.

Esta edição reuniu expositores nacionais e internacionais de todos os estados brasileiros e 15 países. Israel participou pela primeira vez, sendo representado pela empresa Yonani. Outra empresa estreante no evento foi a egípcia Modern Marble, que chegou ao final dos quatro dias com motivos para comemorar.

“Foi um espaço que tivemos a oportunidade de abrir frente a novos mercados, sobretudo latinos. Fizemos contatos com empresas brasileiras, do México, Costa Rica e Equador, por exemplo. Vamos desenvolver essas parcerias após a feira e acreditamos na conversão em negócios concretos. Tanto, que pretendemos voltar em edições futuras”, conta o diretor de marketing da Modern Marble, Ramiz George.

O ambiente de negócios também foi favorável, com várias sinalizações positivas dentro do evento e boas perspectivas de transações ao longo do ano.

Com uma nova proposta, a Super Clássico ampliou seu mercado ao apresentar a nova tecnologia GIS (Geometric Innovated Stone), que chega para valorizar ainda mais as rochas naturais. O produto, que tem patente internacional em cerca de 150 países, permite a reprodução de variadas formas geométricas, em qualquer tipo de rochas.

O sócio Leonardo Scaramussa vibra com a aceitação da nova tecnologia entre clientes, novos parceiros e arquitetos. “A prospecção está a melhor possível. Os arquitetos querem colocar a GIS em prática nos projetos e os compradores internacionais, principalmente da Europa e América, demonstraram muito interesse. Como o mercado americano foca muito em bancadas e ilhas, esse material cai muito bem”, afirma

Scaramussa explica que a aplicação da tecnologia GIS nos materiais, leva o nome de placas. A empresa, inclusive, está trabalhando um tamanho padrão para comercialização das placas de pedras naturais. Outra empresa que encerra esta edição com agendamentos para prospecção de negócios é a Dardi International Corporation, líder na China no desenvolvimento de máquinas de corte com jato de água.

Carlos Toledo, do setor de vendas, fala que a novidade deste ano é o lançamento da máquina de água que corta em qualquer ângulo. O interessante do maquinário é que com exceção de vidro temperado, o robô corta todo tipo de material. “Estamos com várias propostas feitas já na feira. A próxima semana será de reuniões”.

Em sua participação na Vitoria Stone Fair, a Aço Art levou bons resultados para casa. Reconhecida por construir máquinas que proporcionam cortes diferenciados e que atendam as necessidades dos clientes, eles venderam a INEX, seu equipamento novidade. “Tivemos um bom movimento na feira e conseguimos apresentar nossas máquinas, fazer um contato mais informal com atuais clientes e prospectos e realizar vendas, inclusive do nosso lançamento. É um espaço que permite esse primeiro contato de forma mais direta, o que converte em grandes possibilidades de vendas futuras”, comentou Telma Rocha, dos setores de venda e marketing.

A Sotreq, com foco em maquinário pesado, foi outra empresa com bons resultados. Eles encerram essa edição com a venda de sua escavadeira, lançada exclusivamente na Vitoria Stone Fair. A nova geração de escavadeiras promete ser 45% mais eficiente, 20% na redução de uso de combustível e 15% na redução de custos de manutenção. “Estamos avaliando positivamente nossa participação, com um bom número de visitantes no nosso estande e com vendas, incluindo o nosso lançamento”, conta a analista de marketing, Priscila Manzoni.

O evento também foi estratégico para o Grupo Qualitá, para quem a Vitoria Stone Fair se tornou um local para apresentação dos produtos e visitas de antigos clientes. Tiago Parajara, do comercial e exportação, conta que muitos negócios para o mercado externo, como China, Emirados Árabes e Estados Unidos foram iniciados na feira, e que as reuniões já seguem agendadas para as próximas semanas.

“Enquanto o mercado americano opta por materiais exóticos, translúcidos, como o quartzito Exclusive White, o mercado oriental investe em pedras naturais com mais movimento. É o caso do mármore Riviera e do granito Explendour Gold”, finaliza.